28 de novembro de 2010

meu nome é KUDKEN

Essa descoberta foi de meu pai. Ele tinha um colega de trabalho com esse nome. Nome oriental de infeliz duplo sentido no Brasil. Um dia ele viu o colega passar na rua e começou a chamar: Kudken! Kudken! Minha mãe, ruborizada de vergonha, começou a brigar, querendo saber como meu pai gritava um apelido tão doido na rua, sem pudor. E meu pai, com voz de trovão, respondeu com simplicidade que não era apelido, era o nome do sujeito. Minha mãe sabia que não apenas ela, mas toda a rua devia estar de olho em meu pai e no pobre Kudken e tratou de se esconder em uma loja lotada, deixando que o dono do nome e quem o chamava se entendessem com a sociedade baiana tipicamente crítica e gozadora. Ô dó...

27 de novembro de 2010

meu nome é MARIA IZILDINHA


Per favore! Ela não é muito simpática, assim como o seu nome verdadeiro, mas a voz é dos céus! Zizi Possi veio ao mundo para cantar e basta.

meu nome é CURDULINA

Amiguinha de minha vó que minha mãe chama carinhosamente de tia Cudu. Fala sério!

26 de novembro de 2010

meu nome é LUÍS LÁZARO


Simpatia: talento. Alegria: talento. Beleza: talento. Energia: talento. Inteligência: talento. Nome simples: talento. O terceiro mosqueteiro ou seria o Dartagnan? Adoro!

meu nome é WAGNER MANIÇOBA


...de Moura... kkk... Desculpe, Wagner, mas Maniçoba é um supernome e precisamos tê-lo aqui. Caramba, que barato! Por que não adotou essa pérola no mundo artístico? Não bastasse o talento, beleza, simpatia, ele possui algo ainda mais sui generis para incluí-lo nesse espaço. Mais contextualizado não existe!

meu nome é PAULO VLADIMIR


Colírio com nome composto. Hum, tudo a ver! A gente até perdoa a combinação exótica nos nomes.

meu nome é BRANDERLEY CLAUDIO

Ah, esse foi descoberto numa reportagem antiga e agora relembrado na IstoÉ. Seja o que for, é.
http://www.istoe.com.br/reportagens/38457_ARSENAL+DO+PRAZER?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

meu nome é LEYDENEYSE

Anúncio na rádio de Eunápolis. Os "ys" foram incremento meu.

meu nome é VANEUZA

nome: NP 40576, ô, Luís da Silva... (fonte: Google)
Esse foi em Salvador. Passei duas horas no aeroporto, caçando o que fazer como dizem. Entra e sai nas lojas (todas elas) e deu fome. Na lanchonete eis que me atende um crachá, ô, uma moça: Vaneuza. Achei simpático todo e taí para registro.

meu nome é ARRAIANA

Arraiana FM é uma rádio de Porto Seguro / Arraial D'Ajuda. Descobertas da viagem para Arraial que fizemos no feriado. Nomezinho engraçado demais pra sair impune.

10 de novembro de 2010

meu nome é DARA


Sensacional: estou viciada em Ti Ti Ti. Credo! Tanta coisa pra fazer, tanto o que viver e eu assistindo novela, acompanhando cada capítulo com olhos hipnotizados pelos personagens divertidos. Notei a doença midiática hoje quando dispensei uma caminhada agradável com minhas amigas que sonham em ficarem malhadas antes do sábado em Arraial por coincidir com o 42º capítulo (brincadeirinha, não conto os capítulos... será que devo?).
Quantas novelas já acompanhei até hoje? Nem me lembro... Era superviciada em TV até minha adolescência, quando os livros começaram a ocupar mais meu tempo do que a telinha. Depois com o advento da internet - adoro essa palavra "advento" - meu interesse pela programação estática da TV acabou mesmo. Hoje assisto um pouco da Globo (resquício de ontens) e filmes, documentários no canal fechado. Mas aí vem o remake de Ti Ti Ti e a guerra divertida de Victor Valentim e Jacque Leclair. Adoro! Voltei ao vício rapidamente.
O título do post é em homenagem a uma novela que fiquei louca para assistir, enquanto estava sendo anunciada. Tinha uma cigana chamada Dara e vários bebezinhos nasceram Dara - como hoje vários bebezinhos nasceram Davi por causa do filho de Claudia Leite. Na verdade minha expectativa era com o cigano Igor, uma cara nova na TV, com um charme absurdo, enquanto estava de boca fechada. Quando o modelo-tentando-ser-ator-e-não-dando-certo abria a boca, saia um "Dara" forçado, esquisito, que me fazia contorcer no sofá de vergonha por ele. Socorro! Carinhas bonitas não são tudo, definitivamente.
O cara era um corta-tesão, um misto de cigano, robô e ornitorrinco que Deus que me livre! Até hoje ele está nas revistas: virou celebridade, ex de alguém, estrela de novelas de gosto duvidoso. Não sei o nome dele nem vou pesquisar no Google. Ficaremos aqui com o som de sua frase de efeito "Te amo, Dara" e o registro de que existem ainda boas produções de novela no país, mesmo que remakes.

7 de novembro de 2010

meu nome é FÉLIX


Segundo pesquisas na internet, lembrando que fontes virtuais não são 100% confiáveis, encontrei o que procurava. Não quero me referir a determinada pessoa que conheço com esse nome - e conheço uma, o tio de meu pai -, mas ao significado do nome em si. Felix significa feliz.

A ideia é: entre nas redes sociais e procure uma cara triste. Alguém já encontrou isso? Como dizem, é mais difícil de ver do que cabeça de bacalhau. O pessoal é feliz. Todos nessas redes vivem uma espécie de "síndrome da felicidade" ou "síndrome da integração social" ou comportamento parecido com uma síndrome. Felixes e Felícias (feminino de Félix) batizados com outros nomes.

Imagens públicas são rótulos de qualidade, entendo, fiz faculdade de Relações Públicas e estudamos todas as ênfases da imagem, mesmo assim me chateia o mundo de sorrisos forjados das redes sociais. Principalmente naqueles dias em que nosso próprio humor está às avessas...

Enfim, meu próximo animal de estimação, talvez um porquinho da índia, chame-o de Félix T (de triste) - posso ter aí um equilíbrio de emoções que meu âmago libriano precisa.

3 de novembro de 2010

meu nome é LUCIANA

Hoje estou melancólica; procurei uma música igualmente tristinha e encontrei "Cantiga por Luciana", cantada no Festival de Música de 1969, tempo igualmente melancólico e triste, mas que causou um avanço cultural sem precedentes no nosso país. Assim espero que esses momentos funcionem em mim: crescimento sempre. O vídeo não é dos melhores, mas dá pra viajar no tempo.



Cantiga por Luciana (Evinha - Composição: Paulinho Tapajós e Edmundo Souto - 1969)


Manhã no peito de um cantor
cansado de esperar só.
Foi tanto tempo que nem sei
das tardes tão vazias
por onde andei.
Luciana, Luciana,
sorriso de menina
dos olhos de mar...
Luciana, Luciana
abrace essa cantiga
por onde passar.
Nasceu na paz de um beija-flor,
em verso, em voz de amor,
já desponta, aos olhos da manhã,
pedaços de uma vida
que abriu-se em flor.