26 de fevereiro de 2011

meu nome é (DONA) FLOR


Desde ontem vivo uma sessão nostalgia, assistindo Dona Flor e seus 2 maridos, numa adaptação do romance de Jorge Amado para a Globo. Delícia de remake, escrito por Dias Gomes! Passei horas ontem e hoje, jiboiando em frente a televisão, sentindo saudade de uma Salvador folclórica, da comida à religião. Até acordei dançando com os tambores e oríxás. ÊPA BÀBÁ!
Além de caprichar na história, Jorge Amado pescou uns nomes que só ele. Flor chama-se Florípedes e Vadinho é Valdomiro. E como a gente sabe aqui que o nome é a porta de entrada para todas as conquistas, os dois se conheceram brincando com seus nomes. Bonito ou feio, não interessaram-se por isso, como nós aqui não nos importamos com estética, mas com significados, com pessoas, com desejos.
Flor conquistou seu Vadinho dizendo que tinha vergonha do nome porque o achava feio. Ele, astuto que só, disse que o dele era muito mais feio; gostava mesmo de ser chamado de Vadinho que parece uma variação do verbo vadiar. Isso é uma conquista típica de sedutores natos. Imagine se ele concordasse com ela? Eita, mulher mais feliz do que Flor não existiu, mesmo com um nome de suspeito gosto. E mais vadiador que Vadinho, só pagando pra ver no carnaval de Salvador!

16 de fevereiro de 2011

meu nome é DOIS-MIL-E-ONZE


Achei a imagem lindinha!

Começou o ano! Ok, já faz algum tempinho, mas a sensação de que começou o ano começou hoje. Sim, por que hoje tive vontade de escrever, hoje estou me sentindo em um ano novo, hoje consigo compartilhar coisas boas com os leitores amigos e amigos leitores.


Esse ano de soma quatro “janeirou” difícil de administrar tantos problemas, especialmente por esses não serem meus, mas de pessoas que amo: o reflexo do que dói nelas, dói mais fundo em mim pela minha impotência de tirar-lhes a dor – desculpem pela frase de quinta, pseudo-parnasiana, para resumir sentimentos que me fizeram sentir dores de cabeça monumentais nesse mês e nenhuma vontade de pensar positivo ou fazer o jogo do contente.

Eis-me renascida.

Pensando bem, nem tanto. Digamos que comecei a traçar planos meus também. Alinhei a importância do “nós” com o “eu” e sigo 2011 mais calma, prontinha para captar novas e inspiradoras histórias para nosso bloguito.

Primeiro vamos começar com novo design, novas cores, para dar uma sacudida nas letras. Vou ter carinho nisso, prometo. Nomes e histórias no mundo não faltarão para encher nossa tela de diversão e prazer. Quem sabe expandir nossos limites, conquistar novos leitores, ter mais comentários postados, contar a sua história!

Pareço animadinha? E estou. Aparece aí para trocar historinhas conosco. Encontrei até um filme português que sem o artigo definido possui o nome de nosso blog! Fiquei curiosa:

http://www.dvdpt.com/o/o_meu_nome_e.php

Algum leitor “tuga” se habilita a assistir e contar, ou enviar como lembrancinha para a escritora? Falar nisso, sabe que em Portugal meu nome está entre os “vocábulos permitidos para uso” e Ariane não? Sério! Informação fresquinha do Instituto dos Registros e do Notariado do Ministério da Justiça portuga. Creia que em algum lugar do mundo tenho um nome normalzinho.

http://bebe.com.pt/regras