25 de fevereiro de 2013

meu nome é CORAGEM

Em 1962, Vinícius de Moraes publica "O Haver". Em 2013, é sobre o que me inquieta:

Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo
Infantil de ter pequenas coragens.


Pequena grande coragem, apresente-se! Fonte: Google


15 de fevereiro de 2013

meu nome é TPN


Pobre ALC com TPN... Fonte: Google Imagens
Quero dividir com vocês a minha primeira busca frustrante no Google. Começou assim: uma amiga comenta seu abalado estado emocional por conta dos preparativos pré-nupciais. Eu, solidária e curiosa, vou pesquisar textos bacanas na ferramenta pop para baixar a ansiedade dela. Encontro sites brancos, com buquês pra todo lado, informando que os preparativos (!) para o rito de passagem deixam todas as noivas estressadas. As dicas são: boa alimentação, exercício físico e dormir 8 horas à noite.

Juro que busquei dicas do tipo: Como Não Matar O Noivo Na Noite Anterior Ao Casamento; Qual A Rota De Fuga Mais Próxima Do Altar; Quais Os Calmantes Que Não Se Pode Tomar Para Não Sair Com Cara Feia Nas Fotos; Como Compreender Que Casamento E Cadeia Não São A Mesma Coisa; e enfim, Sim, Posso Me Separar Um Dia Sem Culpa. Esperei que as revistas eletrônicas confirmassem meu pensamento de que “felizes para sempre” não é uma condenação, é uma escolha, e como toda escolha é difícil.

Enquanto minha amiga falava comigo, a imagem que me veio à cabeça foi a de uma ponte e a frase de “Comer, Rezar e Amar”: atravessiamo. Um livro lindo, amoroso e filosófico. Dica de boa leitura. A história da mulher que acaba um casamento, encontra um amor, e decide enfim “atravessar” seus temores, ansiedades, desgostos, convencendo a gente que o melhor da história é a passagem da mulher medrosa para a mulher aguerrida.

Também veio o desejo de voltar aos papos com Helena, papo esses culpados por eu escrever esse blog há quase cinco anos. Ela teria uma reflexão sábia para fazer para minha amiga aquietar a ansiedade. Eu não. No assunto matrimônio tenho oito anos de experiência muito particular e não me lembro de ter tido TPN – tensão pré-nupcial.

Criei então minha própria lista de dicas para a noiva. Os leitores podem participar nos comentários se quiserem:

1. Relaxe, trocar seu RG por uma certidão de casamento não dói.
2. Acalme-se, festa de casamento acaba uma hora.
3. Serene, os planos de futuro em comum resgatam sempre a vontade.
4. Suavize, sempre há um sofá em casa.

No mais, estou torcendo para que sempre haja espaço para os sorrisos felizes e cúmplices entre eles.