9 de maio de 2013

meu nome é ÚLTIMA POSTAGEM

É com a poesia de Leminski que me despeço dos leitores deste bloguinho, agradecendo a acolhida, os comentários e acessos:

Já me matei faz muito tempo
Me matei quando o tempo era escasso
E o que havia entre o tempo e o espaço
Era o de sempre Nunca mesmo o sempre passo

Morrer faz bem a vista e ao baço
Melhora o ritmo do pulso
E clareia a alma

Morrer de vez em quando
É a única coisa que me acalma