26 de junho de 2013

meu nome é SÃO JOÃO


Essa história vai iniciar
Nas Alagoas Maceió do lindo mar
Onde mora um povo inventivo pra danar
De tatuagem a pessoas costumam inventar
Com a imaginação voam a brincar
Vivem contando causos sem sufocar
Até gente invisível eles costumam criar
Um tal Jorjão merece aplausos de mão queimar

E outro dia tá chegando!

Depois de uma noite danada
Lá vamos nós para a estrada
Três almas cheias de conversa enfiada
Registrando tudo na jornada
Junho ficou foi pequeno pra tanta lombada

Olha a cidade à frente!

Caruaru o primeiro rumo
Balões e bandeirolas a prumo
Interrogadas no hotel como se tivéssemos fumo
Conseguimos enfim um quarto de um desistente póstumo
Pobre diabo que não resistiu ao desarrumo
Desse mundo suprassumo

Deixa isso pra lá!

Arrumamos o cabelo caprichado
Roupa bonita, calçado civilizado
Rumamos para o terreiro atarracado
De forró, bode e povo animado
Santanna, o cantador requintado
Fez o show mais bonito de todo o povoado
E a gente se divertiu foi muito na chuva, tudo registrado
Armaria, deu tempo até pra mobilizar com o grupo excitado
Aqueles jovens que estão mudando o rumo do Brasil acomodado
Foi lindo de ver o sorriso rasgado
E o canto de força entoado
Do povo de Caruaru atulhado
Na fila de gente pelo centro da cidade, tá aprovado!

#fomosprarua!

Campina Grande foi o próximo destino
Do trio que encontrou outro povo peregrino
Acolhidas por Cecília e marido que Ariano pagou o ensino
Amigas resgatadas da estrada por Damião moço menino
Jogo vencido - nós 4, Itália 2 -, almoço fino
Enfim, fomos pra rua forrozear com Gil, presente divino
Emocionante ouvir Elba e o hino
Em Campina Grande vimos a lua grande no grande céu cristalino

Xote, baião é Saõ João!

Tanque cheio, alma lavada, artesanato na bolsa, um sucesso
E pegamos a estrada de regresso
Na mala e na memória um universo
De imagens dançantes que confesso
Deram pra minha imaginação o progresso
Para meu coração no pescoço um impresso
E no pulso um professo
Que agora carrego para sempre no escolhido caminho avesso
Pacto de amizade de travesso

Olha a cobra!

Redescobri que festa de São João
Acontece é no coração
De gente que tem afeto e medo não
Família faz a direção
Amigos a rotação
E no bloguinho a redação
De mais uma aventurança na criação

16 de junho de 2013

meu nome é DINDA

Era uma vez uma notícia, agora é um menino de sete anos. Quando minha irmã disse que estava grávida, eu me livrei em transe de um engarrafamento, doida para espalhar a notícia para os queridos, e, no entanto, mantive um silêncio agudo para que a novidade fosse privilégio da nave.
Chorei muito, pensando que finalmente chegara a renovação da vida, meu pedido de de todas as orações. Virou minha motivação. Virou meu melhor livro de histórias.
Para quem decidiu não ser mãe, ser tia é uma benção de Deus. É como um acordo com o divino: não exercerás a maternidade, mas a "tiaridade".
Estabeleci ali, na notícia, o compromisso de exercitar o amor incondicional desde o início de uma vida. Essa vida que vive longe fisicamente de mim e ao mesmo tempo nunca perco um minuto de seu convívio.
Somos ligados pelo cordão do amor, desde a notícia, desde o choro que não contive e não contenho.
Mesmo com todos os meus erros, meus defeitos, minhas pequenezas, minhas faltas graves, é nesse amor que me resgato e me perdoo. A esperança existe, mora em Santos e completa hoje sete anos.

"Geração X chamando Geração Z, câmbio!"

13 de junho de 2013

meu nome é ATONIO

Hoje é dia de Santo Antônio, o franciscano casamenteiro. Também é o aniversário de uma querida amiga. Ela homenageou o santo no nome do filho. E homenageou o filho fazendo uma tatuagem. Eis aí a questão. O tatuador mais famoso de Recife marca a história dessa história em um detalhe, pequeno, mas essencial:

Agora entendem que não errei no título.

10 de junho de 2013

meu nome é VOLTA?

Pode ser... Sinto saudades desse espaço. Hoje completa um mês de silêncio. Os acessos continuaram. Eu não acessei na certeza de que era mesmo um livro fechado. Nesse tempo fiz tantas coisas! Vivi muitas coisas. Elas me faziam lembrar daqui, da minha caixa de palavras soltas. Tantas informações que gostaria ainda de compartilhar! E por que não voltar atrás? E por que não dizer que estou de volta?
Pode ser... Os insights nos filmes sobre o personagem Renato Russo precisam de relatos! A viagem a Maceió, os novos amigos, a conexão Pernambuco, Geração X e demais pré e pós. Tantas coisas aconteceram em um mês! Mudanças, nascimentos, mortes, resignificações.
Pode ser... O medo do novo está dissolvendo...