29 de setembro de 2013

meu nome é DENTRO


Não me ame tanto - Karina Buhr (minha versão preferida é a do Tropicanalha Feat | Jaloo Remix)

Não me ame tanto
Eu tenho algum problema com amor demais
Eu jogo tudo no lixo

Sempre

Não me ame tanto
Não posso suportar um amor que é mais do que
O que eu sinto por dentro
Penso


Desapego corretamente
Ou incorretamente
Um sentimento mesquinho
Que eu sinto por dentro
Tenso

Por isso não me ame
Não me ame tanto

Não me ame tanto

Não me ame tanto
Eu tenho algum problema com amor demais
Eu jogo tudo no lixo

Sempre

Não me ame tanto
Não posso suportar um amor que é mais do que
O que eu sinto por dentro
Penso


Desapego corretamente
Ou incorretamente
Um sentimento mesquinho
Que eu sinto por dentro
Tenso


Por isso não me ame
Não me ame tanto

Não me ame tanto

Pego tudo
O meu e o seu amor
Faço um bolo de amor
E jogo fora


Ou como e gozo
Dentro

26 de setembro de 2013

meu nome é CONGESTIONAMENTO

Todos presos e a imaginação voando. Fonte: Google

Ainda bem que não faço deste espaço um diário. Seria um tédio a narração de minha vida. Acordar cedo, pegar trânsito, trabalhar muito, pegar mais trânsito, casa, dormir exausta. Nos intervalos, penso na vida. O meu universo mais rico e interessante para dividir com o leitor é o interior, aquele onde moram os porquês. Não são porquês juntos e sem acento das respostas, são porquês separados e sem acento das perguntas, a junção da preposição "por" com o pronome indefinido "que".

São milhares, milhões de interrogações, filosóficas na maioria, sociopolíticas e sobre a alma humana. Inquieta-me perceber a pobreza de espírito de alguns, a vulgaridade de gostos de outros, a inclinação para a dissimulação do ser humano, a necessidade de holofote de certos, a miopia proposital de muitos, a ausência de caridade e humildade de tantos, e a clássica falta de noção de grande parte. Com isso gasto muita energia.

Enquanto vivo a vida prática, o trabalho ocupa minha cabeça; nos cursos e livros tento acalmar minha curiosidade, mas o trânsito tem me deixado louca. Tenho passado nele três horas por dia em média. O que isso significa? Um festival de concatenações. Ultimamente estou montando uma teoria sobre os arquétipos do motorista que circulam na Avenida Paralela, uma das maiores avenidas soteropolitanas. O do herói é o que mais gosto. Quero pertencer a ele para me sentir uma batalhadora na guerra do trânsito, mas nem forçando a barra.

Ai se tivesse asas...

11 de setembro de 2013

meu nome é HERMENÊUTICA

Ainda que nem tudo possa ser dito. Fonte: Google
 
Ainda que dormisse toda a noite
Ainda que a noite fosse mais curta
Ainda que o dia amanhecesse mais tarde
Ainda que o relógio não despertasse
Ainda que me permitisse dormir um pouco além
 
Ainda que me levantasse com energia
Ainda que o banho tivesse me despertado
Ainda que o cabelo fizesse as pazes comigo
Ainda que a roupa fosse nova
Ainda que o sapato fosse de cristal
Ainda que o café estivesse mais forte
Ainda que o elevador não demorasse tanto
 
Ainda que o caminho estivesse livre
Ainda que o trânsito desse uma trégua
Ainda que o viva-voz permitisse ver-o-outro
Ainda que as motos fossem menos perigosas
Ainda que o túnel fosse mais claro
Ainda que encontrasse logo onde estacionar
Ainda que as escadas tivessem dois degraus
 
Ainda que em cima da mesa tivesse uma xícara de café
Ainda que encontrasse tudo como deixei
Ainda que os problemas não existissem
Ainda que minha intuição parasse de gritar
Ainda que o tempo da confiança retornasse
Ainda que chaves fossem seguras
 
Ainda que as pernas não doessem
Ainda que o dia tivesse menos horas
Ainda que não anoitecesse tão rápido
Ainda que chegasse logo a hora da novela
Ainda que pudesse falar um palavrão
 
Ainda que a piscina estivesse mais quentinha
Ainda que o vizinho parasse de fazer barulho
Ainda que esse texto fosse inteligível para todos
Ainda que meu cansaço faça parte do tempo da mudança
 
Ainda assim não perco essa batalha por nada
Ainda assim desejo que o tempo não pare agora
Ainda assim fico feliz em momentos apertados entre o desafio e a nobreza
Ainda assim ouço música e leio poesia
 
Ainda assim meu desejo me traz aqui
Para desabafar o que me oprime o grito