5 de março de 2015

meu nome é SIMPLES

Aqui para os censuráveis!

Fevereiro sem posts e já chegamos a março sem muito assunto. Mentirinha! Vários assuntos já passaram por minha cabeça esses dias. De música à filosofia. De amor a acidente. De fantasia a indicadores sociais. Nada me impulsionou para a escrita, até ouvir uma palestra de Suassuna no YouTube. Isso mudou tudo.
Escrever é um ato de libertação para mim. Falo o que quero, escrevo como aprendi, censuro sempre. Imagina se não? Se toda a rebeldia, a gaveta desarrumada aparecesse aqui nos adjetivos. Creio que se a autocensura não existisse, estaria em apuros.
Vocês devem estar se perguntando o que Suassuna e o parágrafo acima têm a ver um com o outro. Nada exatamente. Só que as palavras daquele sertanejo clássico guardavam opiniões originais e chegaram ao estágio de serem ditas sem censura pelo próprio. Imagino se algum dia chegarei eu a tal privilégio.
Primeiro ele conhecia muito sobre o que falava: era um estudioso. Contestá-lo merece não só debruçar sobre os livros, mas viver uma história de vida tão rica quanto a dele. Segundo, a simplicidade o habitava e quem pode com isso? Escrever "data venia", com o devido respeito, nunca fez de um tolo um grande advogado. Terceiro e não menos importante, ele mentia e confessava que esse era o melhor dos seus recursos para a escrita. Qualquer um que faz isso merece respeito e quem quiser que aprenda o que é a verdade.
Assim sendo, expresso minha inteira e irrestrita admiração pelo senhor Ariano Suassuna. Meu nome não veio do seu. Data venia, apodero-me dessa similaridade para me envaidecer. Rebusquei na tentativa de normalidade, contudo gosto de gente simples. Valeu, "Seo" Ariano!